Mensagens

A mostrar mensagens de Junho, 2010

Concerto | Sé Catedral de Vila Real | 04 Julho 2010

Imagem
No próximo Domingo, pelas 21h30, na Sé Catedral de Vila Real serão apresentadas, parcialmente, duas Cantatas do Pe. Joaquim dos Santos. “ Noiva do Marão ” e “ Santo António dos Portugueses ”, obras para solistas, coro e orquestra. Na versão do próximo Domingo, as obras serão apresentadas por narradores, um solista, coro, trompa e órgão – um arranjo das obras, visto que os meios são limitados. Serão intérpretes o Coral de Chaves, Carlos Meireles (solista), Cláudio Moreira (trompa) e Tiago Ferreira (órgão). Nuno Costa, direcção. Do programa constam, ainda, outras apresentações de outros grupos.

há uma ano… | UMinho | Ciclo de Concertos… 27 Junho 2009

Mais um concerto… aconteceu há um ano com peças do nosso Joaquim dos Santos. Não foi o único do fim de semana… mas como deste concerto se perdeu, irremediavelmente, a gravação áudio, fica o presente artigo mais pobre e sem outra solução! Aconteceu: Concerto de Música Coral para a Infância (música para crianças) [Joaquim dos Santos] no dia 27, sábado, no Museu D. Diogo de Sousa (Braga) pelas 21.30h | coro infantil da Companhia da Música sob direcção de Tamara Sargassian A obra cantada foi “Sons p’ra guitarra da boneca”, obra já abordada neste blog. ver artigo
…um agradecimento a todos que, ao longo desta semana, recordaram o Maestro através das mais diversas orações ou acções…
Imagem
13 de Abril de 1936 – 24 de Junho de 2008  

Exposição | Joaquim dos Santos e a Nova Revista de Música Sacra | expositor 10

Imagem
  “A Nova Revista de Música Sacra é uma publicação de música litúrgica, em duas séries, com grande importância para toda a comunidade eclesial na vertente do apostolado. Tem a sua sede na Casa Sacerdotal, na rua S. Domingos, nº 109, 4710 – 435 BRAGA , onde se publica desde 18 de Novembro de 1971 até ao presente. É propriedade da Comissão Bracarense de Música Sacra , organismo de que Joaquim dos Santos foi compositor e membro desde 1969. A Nova Revista de Música Sacra surgiu com a necessidade de contrariar um fenómeno da proliferação de fichas policopiadas, repletas de “música profana de carácter ligeiro”, assegurando aos pastores da Igreja, com sensibilidade para a educação musical, “trechos em que pudessem depositar confiança”, e “que fornecesse aos bem intencionados o pábulo musical de qualidade […]”. (1) Joaquim dos Santos fez parte da equipa responsável pela publicação da NRMS, de que foi colaborador, tendo aí publicado uma parte da sua vasta obra. Trabalhou ao lado de nom

Encontro de Coros passado!

Para a posterioridade, aqui fica este artigo a fazer referência ao Encontro de Coros de Antíme levado a cabo no passado dia 29 de Maio. Para a celebração dos 25 anos do Grupo, foram convidados o Grupo Coral de Azurém, o Orfeão de Braga e o Orfeão de Guimarães. Na totalidade, no programa constaram as quatro peças populares com arranjo de Joaquim dos Santos sendo elas Canção de embalar (G.C.Az), Mulher da erva (O.G), Dobadoira e Assenta-te aqui António (G.C.An). Um bem-haja!

Concerto… | Coral de Chaves

Imagem
Domingo, dia 6 de Junho na Igreja Paroquial de Cerva – Igreja de São Pedro – o Coral de Chaves interpretará, entre outras, obras do Pe. Joaquim dos Santos. Levanto os meus olhos para os montes; Tomai, Senhor, e recebei; Tantum ergo; Nasceu o sol da Páscoa … entre outras obras de outros compositores, tais como, Manuel Faria, Eurico Carrapatoso, Fernando Valente, Mozart, Bach, Vivaldi… etc… Domingo, dia 6 às 21h30 na Igreja de São Pedro – Cerva    

Pode haver compositores bracarenses por conhecer…

Imagem
2009-11-22 autor Rui Serapicos João Duque, professor na Faculdade de Teologia da Universidade Católica Portuguesa, fala ao Correio do Minho na qualidade de membro do grupo coral Cappella Bracarensis, do qual já foi director artístico. Este antigo aluno do compositor Manuel Faria frequentou em Santo Tirso o Colégio das Caldinhas, onde estudou órgão e composição. Nunca deixando de praticar o canto, fez cursos de direcção coral e dirige coros desde os 16 anos. Ainda hoje, quando pode, volta a Monção para dirigir o coro Deu la Deu. Falando do Cappella Bracarensis, conta-nos que “temos pesquisado nos arquivos, por exemplo, para os concertos da Semana Santa, obras de autores portugueses, sobretudo do século XVIII e do século XIX, que não estão publicadas, que estão nos arquivos e na prática são interpretadas em primeira audição, conta o nosso interlocutor, acrescentando que “também já executámos obras, das poucas que se conhecem, de uma escola que terá havido aqui à volta da