terça-feira, 8 de dezembro de 2009

A Noiva do Marão | Cantata

Maestro Joaquim dos Santos (esquerda); Bispo D. Joaquim Gonçalves (direita) Cantata para soprano e baixo solo, coro e orquestra. Apresentada pela primeira vez no dia 9 de Dezembro do ano 2000 na cidade eterna.
Mais uma vez com texto do Sr. Bispo de Vila Real D. Joaquim, a música nasce sem preconceitos no trabalho diário e talentoso do Maestro Joaquim dos Santos criando assim o seu estilo e forma de expressão artística.
Independentemente de ser quase imperceptível o português, cantado por intérpretes de várias nacionalidades, a interpretação tem muitos momentos de óptima qualidade. Mais uma vez a forma coral que figura no centro da obra é de uma beleza própria de quem já antes tinha escrito “Tomai, Senhor, e recebei”, “Somos testemunhas”, “O Senhor nos dê a sua bênção” entre outros…
Musiche di JOAQUIM DOS SANTOS
Direttore MASSIMO SCAPIN
CONCERTO SINFONICO NELLA CHIESA DI S. ANTONIO DEI PORTOGHESI


O texto, bem ao jeito do Bispo D. Joaquim Gonçalves, é o seguinte…
Senti encantos grandes pelo Marão/ Gigante enorme, rijo e concentrado, A olhar enternecido a Senhora/ Que vive só, num monte, mais ao lado.
Valente é ele e veste fato branco/ Até de inverno, muito bem talhado, E guarda sempre um pouco desse linho/ Para ofertar à noiva em seu noivado.
Ela é mais fina, bela e graciosa/ E sempre jovem, cheia de carinho/ Tem um solar aqui, em Trás-os-Montes, Com a varanda aberta para o Minho.
Sonharam já os anjos do Marão/ Levar p’ra ali a noiva idolatrada: Tornava-se ele um trono coroado/ E a nossa terra toda engraçada.
Sorriu bondosa a noiva àquele sonho/ De vir morar em trono ‘inda mais belo. Mas ela, que é fidalga deste vale, Prefere ter no vale o seu castelo.
Por isso, em cada Inverno, jubiloso, Como em noivado o rei para a rainha, Irá o Marão levar um manto branco/ À sua Noiva do Monte Farinha.
À Senhora da Graça, no cinquentenário das peregrinações regionais. Bispo D. Joaquim Gonçalves, 1995.
ver na Agenda IPSAR