terça-feira, 30 de junho de 2009

Lamentationes Jeremiae Prophetae | solo, coro e orquestra

Maestro Joaquim dos Santos em Subiaco (Itália), 2007

À primeira vista parece uma foto bastante estranha! Pois, é o Maestro acabado de ser apanhado pelas teias de uma máquina fotográfica que parece que surgiu do nada! Em Subiaco (Itália), Dezembro de 2007…

Homem tímido, gostava da sua tranquilidade e recolha. Era esta tranquilidade e recolha interiores que lhe permitiam o pensamento maturo da música que compunha. São estas duas das condições que lhe permitem ter fios condutores, identificáveis, nas suas obras. Já pensaram num artista que não tem nada que o identifica na linhagem dos seus trabalhos? Há quem não consiga pensar… Joaquim dos Santos tem identificação, tem essência, tem fios condutores. Não gostam da ideia? Mas tem. Tudo o que escreveu é perfeito? Quem é que se pode gabar de tal feito? Tudo o que escreveu é belo? Um quadro sem assimetrias nunca sobressairá. Mas não se esqueçam…a sua música tem identidade, vive por si e, como a história da música já nos contou imensas vezes, nem sempre à primeira audição é evidente. Ainda bem. Banalidades já assolam muitos sectores da sociedade e… Igreja(?) Sem mais comentários.

Com as Lamentações deixo o leitor…

La tradizione, il richiamo di sonorità in qualche modo già sentite ma non per questo meno affas Le Lamentationes si sono rivelate pezzo arduo, dalla struttura complessa. I temi della fuga, della fame, del "disastro" politico di Gerusalemme, sono stati evocati da una partitura quanto mai "carica", ricca di impennate imprevedibili. Dos Santos, che ha studiato musica sacra per sette anni a Roma, ha molto lavorato all'incontro tra gregoriano e sperimentazione, con esiti interessanti e non facilmente valutabili a un primo ascolto.

http://www.visum.it/

Lamentationes Jeremiae Prophetae é uma obra do início da década de 90 para tenor solo, coro e orquestra. Sinto a necessidade de fazer uma análise musical aprofundada mas a oportunidade não é a mais propícia…

Apenas de referenciar que no minuto 2.52, na presente interpretação, há uma falha técnica digna de registo a fim de evitar algum tipo de juízos sobre a partitura…

Lamentações do Profeta Jeremias, gravação ao vivo em Santo António dos Portugueses em Junho de 2000. Dirigiu o maestro Massimo Scapin a Orchestra ESACORODO e o Coro SAPOR.

Ver na Agenda IPSAR

quarta-feira, 24 de junho de 2009

Joaquim dos Santos na Casa da Casinha, 2007

Joaquim dos Santos

13 de Abril de 1936 – 24 de Junho de 2008

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Concertos de Música Coral pela UMinho

a música popular portuguesa de J.Santos, M.Faria e F.Lopes-Graça em concerto…

Para o final desta semana estão reservados uns bons momentos de música dos compositores bracarenses Joaquim dos Santos e Manuel Faria, a eles junta-se, também, o insigne Lopes-Graça.

O Coro de alunos da Licenciatura em Música da Universidade do Minho dirigido pelo professor Vítor Lima apresenta um programa que visita a música popular trabalhada por estes compositores.

Ao concerto, já anunciado, do Salão Medieval na UMinho junta-se outro que será realizado quinta-feira, dia 25, no Centro de Estudos Camilianos em Ceide (terra natal de Manuel Faria)Famalicão - pelas 21.30h.

A reter para esta semana…

Concerto de Música Coral [Joaquim dos Santos, Manuel Faria e Fernando Lopes-Graça] no dia 25, quinta-feira, no Centro de Estudos Camilianos em Ceide – Famalicão pelas 21.30h

Concerto de Música Coral (também com obras para violino, viola e harpa) no dia 26, sexta-feira, no Salão Medieval do Edifício Geral da Universidade do Minho pelas 21.30h Entrada: Comunidade Académica e público em geral - 5€ PROGRAMA

Concerto de Música Coral para a Infância (música para crianças) [Joaquim dos Santos] no dia 27, sábado, no Museu D. Diogo de Sousa (Braga) pelas 21.30h | coro infantil da Companhia da Música sob direcção de Tamara Sargassian Entrada Livre

sexta-feira, 19 de junho de 2009

Joaquim dos Santos e os concerto de Roma

Orchestra Sinfonica Nova Amadeus

Recordo-me agora que é durante o mês de Junho que o Instituto de Santo António dos Portugueses em Roma faz um dos seus mais assinaláveis concertos.

No mês de Junho porque é celebrado o seu patrono, porque é também no mês de Junho que nós celebramos o dia de Portugal, dia das Comunidades que connosco falam a língua portuguesa e o dia do Poeta Luís Vaz de Camões. Tudo isto são motivos para que, uma Instituição Portuguesa que tem o seu raio de acção num país da Europa, se celebre tudo o que se ligue com Portugal. Pois bem, foi em vários destes importantes concertos dentro do IPSAR que o Maestro Joaquim dos Santos teve o seu raio de acção e ajudou a escrever mais umas páginas para uma História da Música Portuguesa…

Sim, a História da Música Portuguesa também se fez pela mão do Maestro. Independentemente dos caminhos estéticos assumidos e seguidos é um facto que a música do Pe. Joaquim dos Santos tem lugar na História da Música em Portugal. Mas como vem sendo hábito, um grupo restrito de compositores, com uma dose (q.b) de modéstia a pecar por ser muito pouca(!), pensa sempre que só é música verdadeiramente contemporânea aquela que segue uns determinados padrões estéticos (a que alguns ainda tentam dar nomes) e que tem um determinado número, muito específico, de gestos musicais, atitudes musicais, e com um sem número de etc’s… De estranhar, pois a boa escrita musical do Maestro insere-se nestes séculos onde conviveram e convivem uma plêiade bastíssima de formas de ouvir e escrever a música.

Nestes concertos realizados em Junho foram dadas a ouvir algumas das grandes obras do Maestro. Por exemplo, a sua primeira obra executada na via dei Portoghesi foi, a 10 de Junho de 2000, Lamentações do Profeta Jeremias, pela então denominada Capela Musical de Santo António dos Portugueses, dirigida pelo Maestro Massimo Scapin. Assim se iniciava uma colaboração intensa, que não só o induziu a criar obras propositadamente para a igreja dos Portugueses, mas a fazê-lo muitas vezes em ocasiões de especial relevância dentro da agenda cultural da instituição, como fossem os dias de Portugal e das Comunidades Portuguesas, na festa do patrono, Santo António, ou nas celebrações da Imaculada Conceição. Também no âmbito dos concertos do dia de Portugal/Santo António foi executada a sua Sinfonia “Roma Eterna”, orquestração da Missa em honra de Nossa Senhora de Fátima de Manuel Ferreira de Faria…bem como outras de relevante importância que mais tarde terão a sua referencia aqui no blog.

www.ipsar.org

Celebrações litúrgicas em memória do Pe. Joaquim dos Santos

Mosteiro de Refojos Para os vários Domingos deste mês e do próximo, a paróquia de São Miguel de Refojos – Cabeceiras de Basto – na pessoa do seu pároco Pe. Fernando Castro teve a bondosa ideia de celebrar o Amigo que já não está entre nós. Para isso convidou 3 grupos corais para a sustentação de 3 celebrações litúrgicas inteiramente dedicadas à memória do Pe. Joaquim dos Santos. Celebrações onde a liturgia visa os  seus cânticos nos vários momentos da celebração. Tão natural esta iniciativa de, em celebrações à memória do Pe. Joaquim dos Santos cantarem-se cânticos de sua autoria…

Os grupos convidados para esta iniciativa são o Grupo Coral de Joane dirigido pelo maestro José Carlos Azevedo; O Grupo Coral de Antíme, dirigido pelo maestro Aníbal Marinho e o Coral de Chaves dirigido por mim mesmo – Nuno Costa.

O primeiro Grupo tomará parte nas celebrações no dia 14 de Junho, DomingoGrupo Coral de Antíme sob direcção de Aníbal Marinho. Às 11h no Mosteiro de São Miguel de Refojos.

O segundo Grupo a participar e a sustentar uma celebração em memória do Maestro Joaquim dos Santos é o Grupo Coral de Joane sob direcção de José Carlos Azevedo – dia 28 de Junho, Domingo à mesma hora.

Por fim, já fora do mês de Junho mas em comunhão com todas as actividade litúrgicas, o Coral de Chaves sob direcção de Nuno Costa no dia 11 de Julho, Sábado às 18h anima a celebração eucarística em memória do Padre Joaquim dos Santos.

domingo, 14 de junho de 2009

Sambade | 14 de Junho de 2008

Coral de Chaves | Joaquim dos Santos & Nuno Costa

Faz hoje um ano que o Coral de Chaves se apresentou em Concerto na bonita Igreja da Paróquia de Sambade – Alfandega da Fé. Iniciativa de um grupo de amigos da música e acolhida, sem qualquer objecção e com todo o apoio, pelo pároco Sr. Pe. Francisco Pimparel.

Esta viria a ser a última aparição do Compositor e obra juntos num mesmo concerto.

Foram protagonistas nesta noite os seguintes intérpretes: Coral de Chaves, soprano Liliana Coelho, tenor Bruno Nogueira, baixo José Carlos de Miranda, violoncelo Dominika Miecznikowska, órgão Melissa Fontoura sob direcção de Nuno Costa.

O programa executado foi o seguinte:

 

Acorda, acorda pecador (canção popular) Joaquim dos Santos

Louange à l’Eternité de Jesus Olivier Messiaen

Sangue de Cristo Manuel Faria

Paixão segundo S. João Joaquim dos Santos

Introito: Requiem Giuseppe Verdi

In Ressurrectione Domini Joaquim dos Santos

Spiegel im Spiegel Arvo Pärt

Gloria in excelsis Antonio Vivaldi

Domine Deus Antonio Vivaldi

O Senhor é meu Pastor Nuno Costa

Halellujah G. F. Händel

 

Quem diria que o Dr. Santos sorridente e feliz daquela noite iria partir 10 dias depois…

testemunho... o concerto... (hiperligação)