sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

De 2010 para 2011…

Mais uma ano que termina.

Esperamos que Joaquim dos Santos, o compositor… continue a ser o local de informação fidedigna para todos que querem conhecer a obra e vida do Maestro Joaquim dos Santos e, para todos que tiveram o privilégio de o conhecer em vida e com ele conviver, possa ser um local de memória viva.

Espera-se que o novo ano traga boas novidades para a música do Maestro Joaquim dos Santos. Por certo, trará…

Para terminar, aqui se deixa toda a música publicada ao longo deste ano de 2010.

música publicada ao longo de 2010

 

Powered by eSnips.com

Um agradecimento a quem segue com atenção este blog.

Bom 2011!

quarta-feira, 29 de dezembro de 2010

Visto que, um dos itens mais procurados no blog é o das “Partituras”, aconselha-se que também deem uma vista de olhos na página “Vídeos Música Sacra”… uma parte dos cânticos tem hiperligação para a respectiva partitura, publicadas em outros blogs.

Ano A, Solenidade Santa Maria, Mãe de Deus, 1 de Janeiro de 2011

Para além das inúmeras sugestões que surgem um pouco de todo lado, aqui fica a deste Blog. Naturalmente, cânticos do Maestro Joaquim dos Santos…

Como Antífona de Entrada há duas possibilidades: “Salvé, Santa Mãe de Deus” (NRMS 45) ou ainda “Hoje sobre nós” (NRMS 44)

Para o dia em que a Igreja também celebra a Paz não há melhor cântico que “Senhor Jesus Cristo” (NRMS 55) – Pós-comunhão ou Final.

Bom trabalho!

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Tempo do Natal | Na terra Se fez carne | 27 Dezembro | S. João Evangelista

Em Tempo de Natal, o dia de hoje é dedicado ao Apóstolo São João, o Evangelista.

Como Antífona de Comunhão para este dia, o texto “O Verbo fez-Se carne” é o que marca e como tal aqui fica a composição do Pe. Joaquim dos Santos sobre tais palavras.

Grupo Vocal Ançã-ble, 2008

Introspecção, serenidade e alegria marcam esta composição. Claro está, todos estas palavras terão as suas diferentes interpretações perante cada ouvinte… mas nem só de arrais se traduz o conceito “alegria”…

Na terra Se fez carne o Verbo Eterno,
Fez-Se homem o Eterno Criador.
Nasceu em humildade em pleno inverno,
Quem de todas as coisas é Senhor.
Veio até nós com todo o seu poder,
Para aos fracos dar força e lhes valer.

O Criador tornado criatura.
Tornado escravo o Rei dos reis, Jesus.
Em forma de mortal, em gruta escura,
Quem era e será sempre a luz da luz.
Deus connosco entre cânticos sidérios;
Ó imenso mistério dos mistérios.

Ó Virgem sacrossanta, Mãe de Deus,
Ó Filha predilecta de Deus vivo:
Aquele que desceu dos altos céus.
Em Vós por nosso amor se fez cativo.
E Vós que o vosso Filho assim nos destes,
Nossa Mãe para sempre Vos fizestes.

NRMS 31

Morreu o maestro Manuel Ivo Cruz

Maestro Ivo CruzO maestro Ivo Cruz faleceu ontem, sábado, aos 75 anos, vítima de uma infecção.
Compositor, musicólogo e historiador, Ivo cruz foi director musical e chefe da Orquestra Filarmónica de Lisboa, maestro do teatro nacional de São Carlos e presidente do Círculo Portuense de Ópera, no Porto.
O corpo do compositor vai estar a partir das 17h30 horas de hoje em câmara ardente na Igreja da Lapa, no Porto, e o funeral realiza-se amanhã com missa às 10:00 na mesma igreja, e será sepultado no Cemitério da Lapa.
Nascido em Lisboa, em 1935, Manuel Ivo Soares Cardoso Cruz - filho do maestro Ivo Cruz (1901-1985) - formou-se em Ciências Histórico-Filosóficas pela Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa.
Deu o primeiro concerto, ainda como estudante, em 1954, foi bolseiro da Fundação Calouste Gulbenkian, e formou-se com distinção, como maestro, pela Academia de Mozart da Universidade de Salzburgo, na Áustria.
Regressou a Lisboa e tornou-se director musical e chefe da Orquestra Filarmónica de Lisboa.
Dirigiu programas de música da RTP, colaborou nas temporadas de ópera do Teatro da Trindade, em Lisboa, e nos concertos das orquestras sinfónicas da RDP.
Foi maestro-director do Teatro Nacional de São Carlos, fundou e dirigiu os Cursos Internacionais da Costa do Estoril, e foi maestro convidado em diversos concertos e óperas em Espanha, Alemanha, França, Grécia, Itália, Brasil, Estados Unidos da América, Rússia e Venezuela.
Foi presidente e director artístico do Círculo Portuense de Ópera, no Porto, e da Ópera de Câmara do Real Teatro de Queluz.
Procurou divulgar obras musicais portuguesas menos conhecidas, fazendo, para isso, investigação na área da musicologia histórica portuguesa e apresentando um vasto reportório documentado, publicado pela EMI, Numérica e Tecla, segundo os dados biográficos da Infopédia.
Manuel Ivo Cruz recebeu, em 1969, o Prémio Moreira e Sá do Orfeão Portuense e foi distinguido pela França com o título de Oficial de Mérito Cultural e Artístico, e pelo Brasil com a Ordem do Rio Branco.
Foi ainda agraciado com a condecoração portuguesa de Grande Oficial da Ordem do Infante D. Henrique e, em 2004, nas comemorações do 50º aniversário da carreira artística, com a Medalha Municipal de Mérito, grau ouro, entregue pela Câmara Municipal do Porto.

fonte

sábado, 25 de dezembro de 2010

Exulta, ó filha de Sião | Dia de Natal | Música para a Liturgia

imagens do filme “The Nativity Story” (realizado por Catherine Hardwicke)

Que dizer? Um cântico como este que hoje se apresenta apenas poderia sair da pena do Dr. Santos.

Um belo coral em oposição a uma estrofe contrastante mas plenamente consonante com o anterior. Não resisto… mas música litúrgica desta simplicidade e grandiosidade, em Portugal, só mesmo pela mão do Pe. Joaquim dos Santos. Que eficácia…

Exulta, ó filha de Sião.
Canta, ó filha de Jerusalém.
Eis que vem o teu Rei,
o Santo, o Salvador do mundo.
Alegrai-vos todos no Senhor;
Nasceu Jesus, o Rei dos Céus.
Glória. Hossana. Aleluia.
Cantai, cantai ao vosso Deus.

A interpretação habitual do Grupo Vocal Ançã-ble.

Cântico publicado na NRMS 68.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Cantata de Natal | Natal de 2002

No ano de 2002, o Pe. Joaquim dos Santos dedicava mais uma das suas composições a mais um amigo.

Obra para coro de crianças, coro misto a e vozes e piano (mais quarteto de metais) foi escrita sobre os textos de Fernanda de Castro, António Moreno, Moreira das Neves e Mendes Leal.

Uma obra digna de ser cantada neste e em todos os Natais. Das várias apresentações que já teve, deve destacar-se, aqui, a sua interpretação em Santo António dos Portugueses (Roma) no dia 21 de Fevereiro de 2009 pelo Grupo Vocal Ançã-ble. ver artigo

Duma forma, que aos poucos se identifica com idiomática, o autor inicia a sua obra num jogo como se dum scherzo se tratasse. É constante este jogo entre piano, vozes brancas e coro misto. Tudo isto nos levara a outro magnífico coral que encerra a obra com as palavras de Moreira das Neves e Mendes Leal.

Almas erguei-vos…

No Céu renasce o mundo!…

terça-feira, 14 de dezembro de 2010

Recordação para o natal | violino e piano | Joaquim dos Santos

Uma das poucas edições de obras instrumentais do Maestro Joaquim dos Santos é a que hoje se aborda neste artigo.

Recordação para o natal é uma obra para violino e piano que foi composta em Dezembro do passado ano de 1986. Obra explanada em dois andamentos, Andantino e Lento, com um total de 97 compassos. A edição é manuscrita e a impressão é das Oficinas gráficas da Editorial Franciscana – Braga.

Dedicatória

Como o prometido é devido, aqui vai, caríssimo Horácio Portela, esta pequenina e singela «Recordação» para o teu Natal de 1986.

A ti é dedicada com imenso gosto e profunda amizade, formulando ardentes votos de que estas páginas constituam um êxito para os artistas e seu autor.

Teu condiscípulo:

quarta-feira, 8 de dezembro de 2010

Puer natus est | Joaquim dos Santos | Um dia Sagrado

Vem de longe a influência que o Canto Gregoriano tem na música e na pessoa do Pe. Joaquim dos Santos. Já nos longínquos anos 60, quando escreve as suas primeiras obras, rasgam pela pauta do jovem Joaquim dos Santos melodias que bebem directamente do canto por excelência da Igreja Católica.

Esta sensibilidade esteve com o Pe. Joaquim dos Santos até aos últimos dias, pois até aí não descansou de escrever música. Tanto ao nível da música secular como ao nível da música sacra, a utilização, a citação e o desenvolvimento das belas linhas melódicas que caracterizam o Canto Gregoriano foram uma constante na sua obra. Sem qualquer dúvida afirmo que, Joaquim dos Santos, foi uma das últimas personalidades, em Portugal, a dominar esta língua única que é o Canto Gregoriano e com esse entendimento ofereceu-nos muitos momentos de música sacra belíssima, música sacra com um toque verdadeiramente diferente, na simplicidade e na complexidade conseguiu transmitir uma verdadeira mensagem de Amor e Beleza.

Tomara que a Igreja de hoje e de amanhã venha a ter muitas sensibilidades e sabedorias do tamanho da deste homem simples chamado Joaquim dos Santos.

Como ponto de interesse, destaca-se aqui o belo cântico de natal (publicado há quase dois anos neste blog) “Um dia Sagrado” pela convergência que tem com o extraordinário tema “Puer natus est”. Para quem defende uma liturgia verdadeiramente enriquecida com cânticos litúrgicos dignos, aqui tem uma sugestão para o Natal que se aproxima…

segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Joaquim dos Santos: um retrato biográfico e artístico

Amanhã, dia 7 de Dezembro, será feita uma apresentação sobre o Pe. Joaquim dos Santos.

Essa apresentação tem lugar numa sala da ESMAE, apresentação essa integrada na unidade curricular Oficina & Recital. Quarenta minutos destinados à divulgação do nome e obra Joaquim dos Santos por Nuno Costa.

Logo de seguida, no mesmo formato, uma apresentação sobre Luís de Freitas Branco por Nuno Osório.

18h - 20h

sábado, 4 de dezembro de 2010

Recital de Música Coral | Centro Cultural de Cascais | 11/12

No próximo sábado, dia 11 de Dezembro, o Grupo Vocal Discantus, sob a direcção de Alfredo Teixeira, apresentar-se-á em concerto com obras da Compositora Maria de Lurdes Martins (1926-2009) e do Compositor Joaquim dos Santos (1936-2008), no Centro Cultural de Cascais.