quinta-feira, 13 de novembro de 2008

Dr. Joaquim Santos apresenta Fantasia Conventual...

Há cerca de um ano assim aconteceu...
No dia 10 de Novembro no Mosteiro de Tibães... Uma Fantasia Conventual foi executada num Convento...

"O Cabeceirense Dr. Joaquim Santos, promoveu no dia 10 de Novembro, no Mosteiro de S. Martinho de Tibães, em Braga um belo concerto intitulado Fantasia Conventual. Uma iniciativa da Junta de Freguesia que com a colaboração da Paróquia, do Museu e da Universidade do Minho, através do IEC e da Orquestra de Câmara do Minho, apresentou em estreia absoluta uma breve mas intensa obra do Dr. Joaquim Santos. Uma obra para instrumentos de sopro com dois incisos de canto gregoriano Parce Domine e Rorate coeli, interpretados pela soprano Magna Ferreira num diálogo bem conseguido com um ensemble de sopros e percussão, sob a batuta do maestro Vítor Matos. Segundo opiniões divulgadas, a linguagem da obra é ousada e imaginativa como toda a criação do Dr. Joaquim Santos. A obra é tripartida, uma introdução, um desenvolvimento como se de uma meditação monástica se tratasse e um coral instrumental onde se inserem os dois referidos incisos gregorianos. O concerto inclui ainda a serenata em Dó menor de Mozart e uma curiosa criação In Principio para sopros e soprano, em seis andamentos do jovem Luís Cardoso. A fantasia Conventual, apresentada na véspera da celebração de S. Martinho, inscreve-se num horizonte de diaconia monástica, já que partilhar a cultura, de forma generosa e gratuita, na perseverança de iniciativas que ainda não registam um grande números de pessoas, é um serviço ao homem e uma exigência de fé, tal como o demonstrou S. Martinho que agasalhou o pobre com metade da sua capa militar. Esta capacidade de usar instrumentos bélicos para um objectivo humanitário só se pode, segundo opiniões divulgadas, gerar na fantasia da caridade. Novos concertos e projectos Previstos estão já novos concertos do Dr. Joaquim Santos, cuja criatividade artística não esgota. No próximo mês, na Igreja de Santo António dos Portugueses em Roma, terá lugar a estreia do Concerto para violoncelo e orquestra dedicado ao italiano Simonpietro Cussino. Em Janeiro, também em Roma, serão executados quatro Poemas indianos para vários instrumentos, Servite Domino in laetitia para piano e Capriccio para violino e piano. Para a África do Sul, voou recentemente o Concerto para dois pianos e orquestra dedicados aos pianistas Miguel Magalhães e Nina Shumann, um Magnificat para solista, coro, orquestra e órgão que foi terminado em Agosto passado, além de outras obras inéditas e projectos em curso de grande fôlego que este afamado compositor Cabeceirense projecta aquém e além fronteiras."

Artigo Publicado no Ecos de Basto no dia 15 de Novembro de 2007 - Paulo de Almeida