sábado, 3 de outubro de 2009

Glória da Kenose | Pe. Dr. António Luís Esteves | 1956-2009

A via crucis de Jesus é, para mim, o paradigma das vias crucis da humanidade. Na Sua leio-o a história do homem, na procura incessante da paz, desejo íntimo de cada homem, nos equívocos da história pessoal ou colectiva. O grande código para decifrar o problema do homem continua a ser o mistério do Redentor, por mais que as filosofias pós-modernas se arrendem de referências ou valores. De facto, os princípios foram destronados de uma legitimação transcendental porque se terá abusado duma autoridade extrínseca para os justificar. A verdade é que a morte de Deus anunciou tragicamente a morte do homem, do super-homem, que, na arrogância desmistificante dos mitos de origem ou de destino, se viu tragicamente só diante da responsabilidade do futuro. (…)

Quem vive desta esperança crucificada não é desiludido nas desilusões da história de todos os tempos, porque a morte venceu a vida, o amor é mais forte que a morte, a vitória acontece no fracasso da Sexta-Feria Santa. O silêncio lúgubre do Sábado santo é senão o anúncio inesperado do Aleluia divino, dom gratuito do Amor.

Pe. Dr. António Luís Esteves - “Glória da Kenose, via sacra dos Artistas”

Pe. Dr. Luís Esteves em Santo António dos Portugueses_2007

Perdemos um gigantesco pensador… também ele um enorme admirador da obra e pessoa que foi Joaquim dos Santos…

A sua obra, de escritos profundos e meditativos ainda está longe de ser conhecida; e como acontece grande parte das vezes… apenas a morte trás o reconhecimento… que triste. 

Aqui deixo os links de várias críticas publicadas no Diário do Minho, relativas ao Dr. Joaquim dos Santos. Dois amigos que se reencontram na glória prometida…

Obras de J. Santos em concerto Pascal

A música ao serviço do diálogo inter-religioso

Entrevista com o compositor ou… uma confissão humilde... 

Uma homenagem simples mas sentida, prestada por quem admirava a sua eloquência das palavras… Com este cântico termino a minha oração em sua memória…

Ordenado presbítero em 1981, o Pe. Luís Esteves começou por estagiar no jornal “Diário do Minho” nos anos de 1980-1981. Posteriormente, em 1985, prosseguiu os seus estudos, tendo sido enviado a frequentar o Instituto Bíblico de Roma. Após o seu regresso, em 1989, integrou o Corpo Docente da Faculdade de Teologia em Braga e foi nomeado Vigário Paroquial temporário de Lago, Amares. No ano 2000 foi nomeado representante do Secretariado do Ecumenismo e Diálogo Inter-Religioso. O funeral terá lugar amanhã (hoje dia 3), após Missa Exequial, celebrada às 15h30 no Mosteiro de Tibães, a que preside D. António Couto. O corpo do Pe. Luís Esteves estará ainda em câmara ardente a partir das 10h da manhã, no mesmo Mosteiro de Tibães. ver em Presspoint

Pe. Joaquim dos Santos e Pe. Luís Esteves