domingo, 7 de março de 2010

Morreu o maestro Gunther Arglebe

O maestro Gunther Arglebe faleceu ontem, sexta-feira, aos 77 anos. O corpo do músico encontra-se em câmara-ardente na sua residência, em S. Félix da Marinha de onde sairá, na segunda-feira, às 9.30 horas, para o tanatório do cemitério n.º 2 de Matosinhos.

Gunther Arglebe nasceu no Porto, em 1933, onde iniciou, aos 12 anos, estudos de flauta e violino no Conservatório. Integrou a Orquestra Sinfónica do Porto na sua fundação, em 1947, mas foi na Alemanha que se formou em direcção de orquestra.

O maestro esteve ligado a vários grupos do Porto, nomeadamente a Orquestra de Câmara Pró-Música e o Círculo Portuense de Ópera, assim como o Orfeão Universitário do Porto, do qual foi regente até 1969, altura em que foi dirigir a Orquestra Sinfónica. Escolheu Gaia para viver e Gaia reconheceu-lhe o afecto - o maestro Arglabe recebeu a Medalha Grau Ouro do município.

O vereador da Cultura gaiense, Mário Dorminsky, pupilo do maestro no Círculo Portuense de Ópera descreveu-o como um homem com uma "fantástica vida de melómano" que "sempre soube fundir os prazeres da música com os da vida". ver no dn

Missa solene em honra de Nossa Senhora de Fátima | artigo

"Dos compositores portugueses, (...), foi sem dúvida o contacto com o compositor Manuel Faria que o conduziu [Joaquim dos Santos] a um estilo enquadrado na estética contemporânea da Música Sacra Portuguesa. Tendo em conta a comunhão de Joaquim dos Santos com os princípios criativos do último, dois elementos da Comissão de Música Sacra solicitaram-lhe que fizesse a transcrição para Coro e Orquestra da Missa Solene em Honra de Nossa Senhora de Fátima [de Manuel Faria], inicialmente para coro a 4 vozes mistas e órgão. Este trabalho foi executado por Joaquim dos Santos sob grande tensão emocional, uma vez que o compositor acompanhava simultaneamente o seu pai que se encontrava doente. A estreia desta obra teve lugar na Igreja de São Lázaro, em Braga, a 13 de Abril de 1984. A execução esteve a cargo da Orquestra Sinfónica do Porto e do Coro da Sé do Porto, sob a direcção do Maestro Gunter Arglebe."

Importa dizer que nos últimos anos também foi Maestro na Orquestra do Norte…